Páginas
em construção

©2012 por Karina Queiroz

Educando filhos

Atualizado: 22 de Set de 2019

Ei você,…..sinto,….um abismo entre nós, um distanciamento tão grande que estou perdendo o tempo,…a vida, dos meus filhos, para a tecnologia.

Esse relato virou o feedback “comum” dos pais que se sentem longe de seus filhos adolescentes (muitos ainda crianças, de 9 ou 10 anos) que já assumiram seu perfil digital e que passam longe do modelo tradicional de criança que fomos na década de 80, 90. Viva a evolução.




De antemão esclareço, trabalho com tecnologia (TI) a mais de 24 anos, muito aprendizado técnico em diversas áreas e atualmente trabalho gerenciando os riscos de tudo isso. Meu filho está, digamos, bem assessorado, meu marido também é da área de TI, mas meu filho...é #adolescente, iniciante, de 13 anos e já adianto…isso muda tudo.


A pouco tempo criei um perfil de rede social para pais e filhos com o objetivo de expor os perigos da #Internet e promover melhor interação de pais com “filhos digitais”. Meu retorno dessa experiência maravilhosa com os “seguidores”… Os pais estão desesperados por atenção, preocupados com os perigos da internet e em especial com o tempo que seus filhos ficam online, longe deles.


Eu sempre acreditei que a #comunicação tem um potencial enorme de transformar, para o bem ou para o mal, sem demagogia, e basicamente sugiro que pais e filhos se comuniquem melhor. Mas sabemos dos desafios, a comunicação tem palavras novas, técnicas, e os pais precisam aprender com urgência, se, educar for uma prioridade verdadeira. Deixar para depois não parece uma boa opção. Jogar videogame ou online no PC, bisbilhotar as redes sociais no celular, conversar com amigos usando vídeo ou chat, não tem problema algum. O uso em excesso da tecnologia, a falta de limite com horários, a falta de interesse em outras atividades, a quietude, sempre foram desafios de educação, com ou sem tecnologia, poderia ser “futebol”. Já parou pra pensar que algumas crianças que jogam futebol são “monotemáticas” ? Não tem outro assunto, vivem e falam sobre isso o tempo todo, qual a diferença “real” ?


“Enfatizo, a comunicação precisa de ajuste, use a tecnologia a seu favor.”


Torço para que os #pais consigam ter a humildade de aprender mais com seus filhos digitais, desenvolver uma comunicação mais clara e alinhada e que o olhar seja direcionado ao que realmente os perturba, sem culpar a tecnologia, o futebol, as séries, afinal são nossos filhos e se distanciar ou desistir não é uma alternativa.


Abraços, Karina Queiroz

7 visualizações